O material de pesca e a gravata Ermenegildo Zegna

tenho que arrumar 

meu material de pesca

por isso não posso 

começar a poesia

uma gota de suor impede o desejo

não arrumo

não escrevo

está quente e a vontade é cachorra

ontem comi minha fêmea

no meio do nada

no meio do gosto

no meio da noite

o escuro é vilão

(É a falta de um formato que produz a dúvida: carretilha ou  molinete?)

meu desejo duro na sua boca

meu dedo judiando um pedaço

que é só meu

e o Tempo assistindo todo o vigor

não fazia nada
porque nada a fazer

era sua função no momento

(É o mundo moderno que não sabe a questão adequada? Qual o melhor anzol?)

subjugado o Tempo

pelo gozo violento

esquece os ponteiros

esquece a morte e seus cheiros

finda a doce guerra

corpos mais vivos

é puro repouso

e o retorno do Tempo

agora tímido servo

de corpos dormidos

talvez redimidos

de alguma intempérie

agridoce tempero dos ventos

retoma seu caminhar

o Tempo

no Tempo

de corpos mais vivos

sem nenhum documento
não dorme e não sonha

prazeres humanos

e eu ainda sem Tempo

tenho que comprar uma

gravata

Ermenegildo Zegna

para combinar com meu

costume italiano

também

Ermenegildo Zegna

por isso não posso terminar a poesia

que o Tempo não começou

minha alma vociferou

ridículo

a alma

e o vociferou

a dúvida é marrom

a questão obedece ao mesmo tom

fosse o terno mais terno

talvez não fosse tão bom

(É em alguma superfície ou pele que a compreensão da vida acontece?)
tecido nobre

poema pobre

trabalhado à mão

pele macia

marrom

paralelo escolar

(explicação: o tecido do terno no mesmo tom)

uma caixa que chega pelo sedex

compre pela internet! 

existe pobreza na alma

existe riqueza na alma

difícil caminho

talvez virtual

porque finito

e eu sem Tempo

de fazer um poema

porque o mundo me arrebentou

um pedaço arruma

um pedaço compra

e o pedaço que vive

e ama

está muito bem vestido

reverencia o mar

e ainda é capaz (não tenha medo) 

de morrer 

algumas vezes

sob ritmo bestial e

                             macio

                                         de

                                               um

                                                        surpreendente 


baterista de Jazz